RESENHA DE FILME : A ESTRADA

a estrada cartazEsse filme é antigo, porem só o vi agora. Não tinha uma expectativa maior, porem me surpreendi com um filme conceitual pós-apocalíptico que é um dos mais próximos de uma possivel realidade. Posteriormente fiquei sabendo que é baseado em um livro de Cormac McCarthy, vendedor do premio Pulitzer de ficção de 2007.

Anos depois de um evento apocalíptico, nos EUA não há mais nenhum dos serviços operacionais, não existe mais fornecimento de energia elétrica e nem de água. Não existe mais produção nenhuma no pais e as pessoas vivem nos escombros do que sobrou do país. O céu fica constantemente nublado e chove muito, essa combinação faz com que o clima seja muito frio e as pessoas tenham que viverem agasalhadas praticamente o tempo todo e improvisando meios de se aquecerem.

O filme mostra uma família formada por pai e filho que está viajando para o sul do país, buscando um clima mais quente, porem sem saber do que irão encontrar lá e, principalmente, no que encontrarão pelo caminho. O pai vive com as lembranças de sua vida em família com sua esposa antes do desastre e esforça-se para manter os dois vivos. Alem da dificuldade em se aquecerem e manterem-se secos devido ao clima, não há mais produção de comida, o que significa que a fome é constante. Os únicos pertences que eles levam são as roupas do corpo e somente um revolver carregado.

Nesse ambiente desesperador, o homem balança entre tomar atitudes consideradas questionáveis e manter a moral junto ao seu filho, que sempre vê o lado correto das coisas e se compadece do sofrimento dos outros.

a estrada 01

A premissa de cenário pós-apocalíptico e de pessoas viajando para algum lado, me lembra o filme “O Livro de Eli” ( resenha aqui ). Porem há um detalhe, este filme é anterior e conforme já citado acima, é baseado em um livro. Poderia comparar os dois, mas tirando esse detalhe da ida para algum lugar e o desastre, não há muito mais semelhanças entre os filmes: enquanto o do Eli é mais fantasioso, neste aqui, optou-se por uma realidade mais próxima do que seria no caso se ocorresse.

O foco principal do argumento é a questão de que um ser humano deve fazer para se manter vivo. O homem está levando seu filho e deve ensinar a ele como sobreviver naquele ambiente. A falta de comida faz com que as pessoas passem a roubar uma as outras e até apelarem para o canibalismo. A sociedade está esfarelada e todos ficam constantemente em estado de alerta, atingindo até uma paranoia na qual elas acham que estão sendo constantemente seguidas por outras que vão lhe causar algum mal.

A ambientação é bem realizada. Na falta de produtos básicos, coisas como a higiene ficam em segundo plano, o que é visível na aparência dos personagens. O cenário de destruição é constante, vemos veículos abandonados, casas destruídas, pontes caídas, postes de energia elétrica com cabos rompidos, etc. E cadáveres, muitos espalhados e ignorados.

a estrada 02

O clima constantemente nublado, faz com que o filme tenha uma imagem bem fosca constante, o que não deve agradar muita gente, porem é bem sacada aqui.

A estrada na qual refere-se o titulo, seria a expressão genérica para qualquer estrada em que eles estejam usando para ir para o sul. Nas estradas a viagem é mais fácil de ser feita, porem o risco é muito maior.

O ritmo do filme é lento e mais focado na interação entre os dois personagens principais, o pai e o filho, por isso, ele tem muito menos apelo ao publico, apesar de ser um filme muito mais conceitual do que os outros do gênero. Obviamente, não teve um faturamento tão bom, o que sempre acaba desmotivando os produtores e nos privando de filmes assim.

Extremamente recomendado. Acho que vou procurar o livro :)

Últimos Comentários

Guest - Ogro
Fala, Chança!!!! Gostei do texto... Essa é uma das poucas estórias do Super que eu curto. Um grand...
Imaginava que Batman e Superman ganharia vários prêmios. Desanimei completamente de escrever uma res...
Também tive dificuldade de escrever essa resenha sem estragar as surpresas que o filme traz. Levei u...
Bom que você tenha escrito essa resenha. Eu fiquei pensando nela a muito tempo porque é um daqueles ...

Login