Reescrevendo Star Trek XI: Capítulo 6 - O Erro

Olá pessoal! Segue o sexto capítulo dessa saga. Para aqueles que iniciam a leitura agora, antes leiam os capítulos anteriores.

Introdução

Capítulo 1 - Os Laços

Capítulo 2 - O Encontro

Capítulo 3 - Causa Improvável

Capítulo 4 – Mais Variáveis Para a Equação

Capítulo 5 - A primeira Perda





Capítulo 6 - O Erro

A Luz da explosão acabara de sumir, só restaram os destroços da USS Seleia se espalhando em diversas direções. A nave que lembrava um gigantesco pássaro verde agora mudava de direção numa leve curva para a esquerda, então algo de errado aconteceu, as luzes de suas dezenas de janelas que mostravam o espaço, piscaram algumas vezes até se apagarem, enquanto as luzes das naceles de dobra começaram a minguar até desaparecerem completamente. A nave de guerra então perdeu seu movimento controlado e seguiu sua trajetória natural começando a adernar para a esquerda. Foram os 10 segundos mais longos que a tripulação teve, entre a ordem de Shiran e o acendimento das luzes na ponte indicando que os geradores de emergência foram acionados.

- Relatório de Danos! Falou o comandante demonstrando surpresa.

A resposta demorou mais do que o normal, Shiran vira-se para fitar o console de engenharia atrás da cadeira de comando. Selmar uma experiente oficial lia os informes no console á direita de Shiran, enquanto T\\\'Rena se apoiava no console à esquerda para se levantar, após achar seu pad particular que tinha caído no chão.

- Perdemos o suporte de vida principal, o controle de atitude, os motores de dobra e impulso. Respondeu Selmar.

A tripulação da ponte tinha acabado de recuperar o equilíbrio depois da falha nos sistemas principais. T\\\'Renna agora digitava o mais rápido que conseguia na interface do console e parecia sincronizar algo em seu pad.

- Os geradores gravitacionais, e os compensadores de inércia também tinham caíram. Tivemos uma sobrecarga grave nos sistemas de distribuição de energia. Respondeu T\\\'Renna como se já esperasse por isso.

- Foi exatamente isso que aconteceu senhor, a engenharia confirma. Respondeu Derak num tom de \\\"eu avisei\\\".

Shiran engoliu seco, tentando disfarçar a irritação. Levantou-se para fitar a agente do Tal Shiar, bem na hora em que ela e o seu imediato se entreolhavam, Derak tinha uma clara expressão de desafio. T\\\'Renna então muda a tática, numa atitude que pega a tripulação de surpresa, por tudo o que esperavam do Tal Shiar, resolve falar num tom apaziguador e desvia o olhar para Shiran.

- Comandante, acho que sei o que houve. Subcomandante, por favor, acompanhe-me até a engenharia para ajudarmos a restabelecer os sistemas da nave.

O imediato olha para o seu comandante que acena com a cabeça permitindo que ele vá para a engenharia. Derak levanta-se, contorna as cadeiras dos comandantes e deixa a ponte junto com a agente do Tal Shiar. Eles fazem o caminho até a engenharia sem dizer uma só palavra, cada um imerso em seus próprios pensamentos.

O coração de Ridin está acelerado, a nave romulana sumiu dentro da anomalia que acabara de fechar e ele fitava desesperadamente o painel de sensores tentando analisar o mais rápido possível o campo magnético que restou. Esperava ter uma pista do destino da nave romulana.

- Ridin, tenha calma, se não isso vai te atrapalhar. Diga-me o que está procurando para que eu possa te ajudar. Responde Mai, com ternura.

Prestes a ter uma explosão de raiva, Ridin se contem, respira fundo e fala no tom mais calmo que pode. - Eles abriram uma fenda temporal para algum lugar do nosso passado. Estou analisando o rastro da anomalia para tentar determinar um período aproximado. Para reabrir a fenda.

Vinte segundos passam. Ouvia-se apenas os barulhos comuns à operação da nave. Mai então quebra o silêncio.

- Ridin, dê uma olhada nesses números. Acho que consegui uma resposta.

- Obrigado Mai, mas não é só isso. Quando destruíram nosso raio trator causaram uma explosão que aumentou a velocidade deles, e interferiu na frequência da anomalia. Eles foram para uma época diferente do que queriam. O que estou tentando é achar uma pista para diminuir a margem de erro, e chegarmos numa época aproximada.

- Tem razão Ridin, não tinha pensado nisso, mas precisamos reabrir a anomalia agora, pois seu efeito está passando, do contrário podemos desaparecer pela influência que eles já tiveram ao voltar no tempo.

- Certo, vamos então. Abrindo fenda temporal!

Da pequena nave triangular surge um feixe branco de partículas reabrindo a anomalia temporal. Vagarosamente a nave se aproxima da anomalia até sumir sendo engolida por ela. Ridin estava tão atento aos instrumentos de navegação que não percebeu o console de comunicações mostrando que uma mensagem tinha sido enviada por Mai.

Clique aqui para a sétima parte.

Leave your comments

Post comment as a guest

0
  • No comments found

Últimos Comentários

Guest - Romildo lima
Li e Recomendo. simplesmente Alexey rickmann nos mostra que temos grandes potencia na literatura Nac...
Mesmo no novo endereço, que você citou, a loja não existe mais. Conversando com o dono, ele disse qu...
Guest - Leonardo
Na verdade eles se mudaram para este endereço: 33 Avenida Treze de Maio 20031-007 Rio de Janeiro S...
Guest - Karla Lopez
Eu gostei o filme. Lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo ...
Guest - Ogro
Fala, Chança!!!! Gostei do texto... Essa é uma das poucas estórias do Super que eu curto. Um grand...

Login