Resenha de filme : AVATAR

Avatar é um daqueles filmes que durante sua produção é criada uma grande expectativa, hoje em dia chamada de “hype”, e que em alguns casos quando o filme estréia, o hype não se justifica. Porem para a alegria dos produtores e do diretor, Avatar justifica tudo isso e muito mais.

O filme fora idealizado por James Cameron a muitos anos atrás, logo após Titanic, filme que deixou o diretor com um status considerável no meio artístico, e ele veio trabalhando na idéia durante esse tempo todo, desenvolvendo a linguagem alienígena e com o roteiro já escrito. Alem disso tudo, para a criação deste filme fora desenvolvida toda uma tecnologia nova de câmeras e equipamentos. Não é necessário dizer que o custo de tudo isso é algo inconcebível para os padrão de nós mortais, só o filme consumiu algo em torno de 237 milhões de dólares, fora os gastos com desenvolvimento de equipamentos, segundo estimado, algo por volta de 260 milhões de dólares. Assim sendo, podemos notar que o custo total fora de 500 milhões. Segundo o diretor se o filme for bem sucedido, duas seqüências seriam realizadas.

O faturamento do filme atingiu a marca de 230 milhões apenas no dia de estréia do mesmo, então tudo leva a crer que as seqüências vão sair. Para aqueles que entendem um pouco do assunto, uma vez que tudo já está previamente criado : personagens, ambiente e os equipamentos, o custo de uma seqüência vai ser consideravelmente menor e a possibilidade de ampliação dos lucros muito maior, o que faz a alegria dos produtores.

 

Quanto ao filme. ( aviso : alguns spoilers, a partir deste ponto )

 

Estava eu me preparando para ir para Macaé, aonde passo para ir trabalhar ( trabalho embarcado em plataforma de petróleo ), porem desta vez iria três dias antes por causa de uma festa do setor aonde trabalho, depois já ficaria na cidade até o dia do embarque, como estaria com um dia completamente livre decidi ir ao cinema ver este filme, o que seria dois dias depois da estréia, pois depois que embarcasse somente poderia ver o mesmo após meu desembarque.

No cinema já acomodado na poltrona do mesmo, estava vendo a sala enchendo e o pessoal naquele falatório habitual antes do filme começar, já prevendo que iria ter alguns engraçadinhos falando durante o filme, fora o fato de que vi varias crianças acompanhadas dos seus respectivos pais, o que não era um bom sinal.

Após um único trailer, eis que começa o aguardado filme.

A historia trata de um ex-fuzileiro chamado Jake Sully que acabou sofrendo uma lesão na coluna e, por isso, é paraplégico. Seu irmão gêmeo acabou morto por um tiro e, segundo o próprio Jake, este era o inteligente da família. Este irmão estava sendo treinado para atuar em um planeta distante chamado Pandora como “piloto de avatar”. Como o genoma entre gêmeos é muito semelhante, ofereceram a oportunidade para que Jake fosse trabalhar no lugar do irmão como piloto. Como o trabalho ofereceria uma quantia em dinheiro muito elevada e, com essa quantia, Jake poderia fazer a operação que devolveria o movimento de suas pernas, o mesmo aceitou o trabalho e embarcou junto a um grupo de fuzileiros para aquele planeta.

O planeta é de interesse comercial, pois possui uma quantidade muito grande de um metal, cujo kilo do mesmo custa 1 bilhão de dólares. Apesar da atmosfera do planeta ser imprópria para humanos e o ambiente ser muito hostil, os lucros justificam a exploração do mesmo.

Nesta situação de ocupação do planeta, temos claramente dois grupos, os militares que estão ali para auxiliarem as equipes de mineração e os cientistas, que vêem o planeta como um ambiente de estudos.

Porem o maior detalhe deste planeta é que ele é habitado por uma raça humanóide conhecida como os Na´vi. Que são seres azuis, magros e muito maiores do que um ser humano comum.

É ai neste ponto que entram os avatares, que são Na´vis gerados geneticamente controlados remotamente pelos cientistas, que é uma forma de poder se integrar ao meio ambiente local e interagir com os nativos.

Jake passa a integrar a equipe dos cientistas controlando um avatar, mesmo não tendo treinamento algum na fauna e flora local e nem na língua e nos costumes dos Na´vis.

Os militares sabendo que ele é um ex-fuzileiro, vêem nele um possível aliado para tentar conhecer melhor os nativos e convencê-los a abandonar o local aonde eles vivem pois ali naquele lugar é onde se concentra uma grande quantidade do metal desejado.

 

O filme é um espetáculo visual, o ambiente e as criaturas são de um colorido fantástico e tudo fica cheio de luzes durante os períodos de escuridão. A cultura Na´vi remete a uma cultura muito semelhante a dos índios adaptada ao ambiente de Pandora, tendo os Na´vis um relacionamento com a natureza muito estreito de um respeito a mesma, o que gera o ponto principal de conflito, pois para os invasores militares e empresariais nada daquilo importa, somente o mineral e que para obte-lo, se preciso for, tudo será destruído.

 

James Cameron desenvolveu uma historia que talvez, seja conceitual demais para alguns e para as crianças que vi entrarem no cinema ou muito boba para outros dependendo de como interpretem a mesma, mas considerando o silencio que ficou em toda a sessão do filme, eu percebi que ele conseguiu agradar a todos os tipos de expectadores ( pelo menos os que estavam presentes lá ).

 

E devo dizer que Avatar é um espetáculo em todos os sentidos, visual, auditivo e conceitual e que merece ser assistido em salas 3D, aonde elas se encontrem.

 

Devo acrescentar que elevou muito mais o status de James Cameron.

Últimos Comentários

Guest - Ogro
Fala, Chança!!!! Gostei do texto... Essa é uma das poucas estórias do Super que eu curto. Um grand...
Imaginava que Batman e Superman ganharia vários prêmios. Desanimei completamente de escrever uma res...
Também tive dificuldade de escrever essa resenha sem estragar as surpresas que o filme traz. Levei u...
Bom que você tenha escrito essa resenha. Eu fiquei pensando nela a muito tempo porque é um daqueles ...

Login