Resenha de Filme: Cinderella

Sei que é estranho que eu queira falar sobre esse filme que, já antecipo, na minha opinião é um dos melhores filmes que assisti nos últimos tempos.

Existem falhas? Sim, claro que tem... Mas o que me agradou bastante neste filme foi o fato de não deturparem a estória, como fizeram, por exemplo, no “Branca de Neve e o caçador” ou em “Espelho, espelho meu”, onde descaracterizaram os já eternos personagens e os fatos narrados há gerações por nossos ancestrais e que eu perpetuo com minhas filhas.

Assisti ao filme com minha família (esposa e minhas duas filhas). Eu confesso que não queria ir, mas a vontade de estar com elas foi maior e me resignei ao papel de pai (“não basta ser, tem que participar”) e fui, mais para acompanha-las do que por interesse pela produção. Entretanto, o filme live action da Cinderela, que recentemente chegou ao cinema tupiniquim, é um grande contraste com as atuais produções cinematográficas voltadas ao grande público.

Em um momento em que super-heróis devastam cidades em suas batalhas homéricas pelo bem, ou até mesmo matam seus adversários sem qualquer aparente pesar sobre sua consciência; ou ainda em meio a filmes cuja a marca é a total desconsideração à inteligência do público (tais como saga Crepúsculo, Harry Potter, saga Divergente, etc.), temos a grande oportunidade de, sem querer ser piegas, mas já sendo, assistir a uma produção que é terna, suave e, como num passe de mágica, é capaz de nos trazer um encantamento que há muito tempo não vejo na telona.

O lema do filme (“com coragem e cortesia tudo é possível”) nos joga na cara, de forma sutil, qual é o problema do mundo atual: damos as costas aos verdadeiros problemas da humanidade por pura covardia e conformismo, cada vez mais nos desligando de nossa humanidade através da indiferença e do desrespeito com o próximo.

Recomendo a todos que levem suas famílias (mesmo que só tenham filhos), pois o filme serve de exemplo a todos nós.

Parabéns à Disney!

Leave your comments

Post comment as a guest

0

People in this conversation

  • Realmente surpreendente uma resenha sua sobre Cinderella. Não te imagino vendo um filme como esses, mas concessões devem ser feitas em família hehehhe.

    Mais surpreendente ainda é eu defender Harry Potter, pelo menos ele não traiu as próprias regras que criou. Não achei tão ruim assim.

    Voltando à Cinderella, a Du também quer ver, então se eu não for ao cinema, provavelmente verei quando sair nas locadoras. Sim, ainda prefiro isso à pagar pacotes caros de tv a cabo pra ver um filme no horário em que a TV quer. Ainda não entendo como as locadoras de filmes foram acabar.

    Like 0 Short URL:
  • Guest - Ogro

    Pois é, Chanceler...
    Eu também não me vejo fazendo um comentário positivo sobre esse tipo de filme... Mas, depois que o meu primo Shrek espalhou aos quatro cantos que nós ogros somos muito mais do que aparentamos, isso não seria de espantar...

    O filme é realmente muito legal, como te falei ao telefone, é aquele filme que você sai do cinema com a alma leve, acreditando que o mundo pode melhorar...

    Realmente vale a pena levar a esposa, namorada, filhas e filhos...

    Abração do Ogro!

    Like 0 Short URL:

Últimos Comentários

Guest - Romildo lima
Li e Recomendo. simplesmente Alexey rickmann nos mostra que temos grandes potencia na literatura Nac...
Mesmo no novo endereço, que você citou, a loja não existe mais. Conversando com o dono, ele disse qu...
Guest - Leonardo
Na verdade eles se mudaram para este endereço: 33 Avenida Treze de Maio 20031-007 Rio de Janeiro S...
Guest - Karla Lopez
Eu gostei o filme. Lembro dos seus papeis iniciais, em comparação com os seus filmes atuais, e vejo ...
Guest - Ogro
Fala, Chança!!!! Gostei do texto... Essa é uma das poucas estórias do Super que eu curto. Um grand...

Login